11.11.12

Um pouco de poesia - Olhar

Vasculhando minhas anotações encontrem algo que escrevi há um tempo.


Só pelo olhar (autoria própria)

Cada suspiro é um pouco da angústia que transborda de mim,  
já que meus braços estão paralisados e não podem abraçar.
Já que minha boca emudece e não me deixa lhe beijar,
já que minhas pernas enfraquecem e não me permitem ir ao seu encontro.
Resta-me, assim,
só o olhar,
profundo e inquieto,
que abraça mais forte do que meus braços jamais poderiam fazer, 

beija-lhe, como minha boca jamais suportaria sofrer e
corre em direção a ti com a velocidade destes mesmos suspiros 
que teimam em exalar de mim.

Abraço. 
Postar um comentário