14.5.12

Todo amor é infinito

Algo que escrevi faz um bom tempo e só agora consegui terminar ...

Acordado 
Louco, louco, louco
de tanta sorte que tenho por encontrar
nas cores sublimes do oriental gosto do salmão, o desejo infinito de viver
entrelaçado na paz 
dos seus braços.
Louco, louco, louco
de felicidade remota,
de sábados intermináveis,
de tantos desejos suaves.
De banhos curtos, 
de juras diminutas,
de rápidos estampidos ...
Louco, louco, louco
vivo e acordado.
Grande abraço.
Até mais. 
Postar um comentário