12.11.10

Skins

"Last night man, cool. Total blast. Everything you could ever want from an evening. Songs, choir girls, colourful costumes, fellatio... rabbits" (Chris Miles) 

Atenção: O vídeo a seguir contém cenas que podem não ser apropriadas para menores de 18 anos.



Hoje vou assistir o último episódio da segunda temporada de Skins. Ele marca o fim desta geração. Quando um dos meus amigos, Neemias, me indicou a série comecei a assistir e pelos dois primeiros episódios senti vontade de parar visto que achei um bocada parado. Coisas da vida! Já no quarto episódio já não conseguia mais parar de assistir.

Skins a primeira vista é uma série engraçada e avançada nos conceitos. No fundo reflete uma tristeza imensa dos personagens que tentam preencher suas vidas com coisas vazias. Essa série lembra-me demais a vida na Inglaterra. Cada vizinhança, cada personagem já foram ou são como alguns dos meus amigos. 

O que me surpreendeu em Skins foi exatamente ela fugir de um clichê em todos os seus episódios. Os personagens parecem correr de tudo e de todos. As relações são fortes mas como ocorrem na realidade deixam de existir simplesmente porque a vida avança.

Esta é uma série magnifica e foge muito das séries simplesmente comerciais. Ela permite e nos obriga a pensar sobre o quão frágil são as relações e que como corremos sem saber para onde.

Vale a pena pessoal.
Aquele abraço.
Postar um comentário