14.7.12

Tolerância

"Um homem não pode fazer o certo numa área da vida, enquanto está ocupado em fazer o errado em outra. A vida é um todo indivisível"(Mahatma Gandhi)
Sim, sou eu ou melhor minha caricatura feita por um aluno. Puxa ficou bacana demais :D

Quanto, quanto tempo hein pessoal. A vida correu aqui fora e já estou com 29 anos de vida. O meu último vinte e uns.
Um grupo de amigos fez uma festinha super divertida para mim no dia do meu aniversário. No dia seguinte, e para uma alegria que eu não posso mensurar, meus alunos de Física da Unicamp fizeram uma confraternização que foi muito bonita, genuinamente incrível. No sábado seguinte reuni amigos em casa para eu dar a eles um pouquinho do que eles sempre me dão, mas mais uma vez foi um dia de receber um carinho imenso dos meus valorosos amigos.
Bem, mas isso é uma outra postagem, com algumas imagens. 
De todos os sentimentos, incríveis sentimentos que presenciei neste período de vida, escolhi um para comentar aqui no blog. Adoro escrever sobre alegria, felicidade (que não são a mesma coisa). Adoro escrever sobre companheirismo e solidariedade também. Esses são valores que nossa sociedade cultiva há muito tempo. Hoje contudo eu gostaria apenas de deixar essa mensagem de Gandhi focando num tema que pouco escrevo: fanatismo. Eu mesmo sempre me julguei fanático pelo Google, mas percebi que isso não era de toda verdade quando sem qualquer problema comprei dispositvo da Apple. De acordo com "The Project Gutenberg EBook of Diccionario de João Fernandes", fanatismo é o pae da intolerância.
E essa palavra tão associada a algumas atitudes sociais pode estar ligada também ao fanatismo pessoal, ou aquela pessoa que no centro de seu egoísmo e egocentrismo dispensa boa parte de sua vida (que é indivisível) a pregar uma verdade absoluta desconsiderando qualquer opinião alheia a dela. Pode parecer forte o conceito que tenho para mim, mas todos nós, em algum momento ou outro, somos fanáticos. Há fanatismos que realmente nos divertem como por exemplo, por um time de futebol. Há outros, cujo nem gosto de citar exemplos, que multilam pessoas, comunidades e nações. Contra o fanatismo contudo há apenas um sentimento que tento nutrir, mas é complicado, e esse é a tolerância. Tolerância com quem é fanático por algo, ou na verdade, fanático por si mesmo. No fundo, o fanatismo por algo, esconde um desejo injustificado de estar acima dos outros pois ele possui, como poucos, a verdade absoluta e dessa maneira todo fanatismo em algo esconde um fanatismo por si mesmo e um egoismo supremo.
Devido a isso, esse é o título dessa postagem: tolerância. Tolere, talvez esse seja o melhor jeito de fazer o outro pensar que sair para a guerra é algo que já não combina com uma sociedade pacífica.  Tolere mas pense e haja para que o "poder" delas não as permita ignorar as individualidades e pensamentos alheios. E reflita que talvez todo fanático seja incapaz de avaliar e, com isso, de avaliar seu fanatismo.
Viva a democracia, viva a tolerância e a solidariedade.
Grande abraço.
Até mais.








Postar um comentário