22.11.08

Pela luz dos olhos meus …

“As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo” (Epicuro)
Os antigos gregos acreditavam que nossos olhos emitiam luz e esta luz era o que nos permitia enxergar as pessoas e os objetos. Muito mais tarde a Física formulou o que é aceito até hoje. A gente vê um objeto por meio da luz (emitida por outras fontes) que reflete neste objeto e atinge nossos olhos. Olhos estes desprovidos de fonte própria de luz.


 
Atualmente, entretanto, começo a pensar, pictoricamente, que talvez os gregos tinha lá a sua razão. Observe como parece que em alguns momentos a luz provém dos nossos olhos. Note como algumas pessoas que antigamente possuíam um imenso brilho, agora simplesmente se apagaram em nossos olhares, perderam a nossa luz e para nós perderem todo o sentido no mundo. Por outro lado, note, quantas outras antes apagadas se iluminaram.
Há pessoas que eram tão belas sob a luz dos olhos meus que hoje não parecem ter o mesmo brilho, apagaram-se, enquanto outras, tantas outras, antes “feias”, sob a luz dos olhos meus se enriqueceram e tornam-se belas e iluminadas.
Quando a luz dos olhos meus encontra os olhos seus … ah …
Abraço.
Até mais.
Postar um comentário